Apesar de participação tímida, ministro das Relações Exteriores fala em avanços do Brasil após cúpula do G20

A participação brasileira na cúpula do G20, na Itália, alcançou os objetivos traçados pelo governo federal. A delegação, capitaneada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), comemorou o saldo positivo. O ministro das Relações Exteriores Carlos Alberto Franco França destacou que houve progresso em diversas linhas de atuação. Segundo o chanceler, o êxito se deu não apenas pelas sessões com os líderes mundiais, mas também pelos encontros bilaterais. “Acho que o balanço foi muito positivo da visita que o presidente fez à Itália. Não apenas pela participação que ele teve nas três sessões da cúpula dos países do G20, em Roma, mas também pelos encontros bilaterais que ele manteve aqui, com o próprio presidente da Itália, também com o secretário-geral da OCDE e com o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde“, comentou. O entendimento é que, além do avanço para o ingresso do Brasil na OCDE, a missão trouxe na bagagem diretrizes para cooperação em diversos setores que devem evoluir nos próximos anos. De acordo com o ministro, esse cenário vai propiciar melhora no ambiente de negócios, especialmente a atração de investimentos externos. “Alçamos junto ao presidente defender as pautas de inserção do Brasil na OCDE, que é um pleito, mais até do que do governo brasileiro, do povo brasileiro, porque isso nos ajuda na melhores práticas de governança pública, também na luta contra a corrupção, com a bandeira do povo brasileiro, e na criação de um melhor ambiente de negócios, para que possamos, cada vez mais, continuar na atração de investimento direto estrangeiro ao nosso país”, disse o ministro. A cúpula também mostrou bons indicativos nas relações entre o Mercosul e a União Europeia.

*Com informações do repórter Daniel Lian

Jovem Pan

Comentários