Bolsonaro avisa STF que não irá depor em inquérito sobre denúncias de Moro

Defesa de Bolsonaro classificou acusações de Moro como “ilações infundadas”.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, não vai depor no inquérito que apura as acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro, de interferência na Polícia Federal (PF).  

Em documento enviado ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, nesta quinta-feira (26), a Advocacia-Geral da União (AGU) afirma que o chefe do Executivo “declina do meio de defesa” de se explicar às autoridades. 

AGU também pediu que o inquérito seja encaminhado à PF para elaboração de relatório final: 

“A publicização do inteiro teor de gravação da reunião ministerial de 22 de abril de 2020 demonstrou completamente infundadas quaisquer das ilações que deram ensejo ao presente Inquérito, o mesmo valendo para todos os demais elementos probatórios coletados nos presentes autos.” 

A petição foi assinada pelo advogado-geral da União, José Levi Mello, que também citou que o prazo de prorrogação concedido às investigações está chegando ao fim. 

José Levi acrescentou: 

“Assim, o peticionante vem, respeitosamente, à presença de V. Exa., declinar do meio de defesa que lhe foi oportunizado unicamente por meio presencial no referido despacho, aliás, como admitido pelo próprio despacho, e roga pronto encaminhamento dos autos à Polícia Federal para elaboração de relatório final a ser submetido, ato contínuo, ainda dentro da prorrogação em curso, ao Ministério Público Federal.” 

Comentários