Boxeador da seleção brasileira protesta: “Sou o neto do negro que vocês não conseguiram matar”

“Novos registros de manifestações na cidade de Santana de Parnaíba, SP. Desta vez, não sozinho, acompanhado de outros negros, estava este homem no mercado saqueando algumas coisas. Conseguimos obter estas imagens após persegui-lo no mercado. Um certo momento senti que não estava fazendo o correto, mas como se tratava de um homem negro senti que estava no no meu direito e podia sim persegui-lo. Na frente da camiseta que usava carregava uma nova mensagem. ‘SOU NETO DO NEGRO QUE VOCÊS NÃO CONSEGUIRAM MATAR.’ E na parte traseira da camiseta estava a mensagem quem vem sendo o tema dos protestos mundo a fora: ‘PAREM DE NOS MATAR’. Após saquear o mercado ele e sua tropa caminharam em direção à saída. Me posicionei estrategicamente junto a minha equipe e estávamos prontos para registrar o flagrante, mas fomos calados quando ele tirou do seu bolso notas verdadeiras e efetuou o pagamento, saindo dali livremente, e pudemos perceber que os negros ali com ele eram da sua família que o acompanhava.”

Cosme Nascimento, atleta da seleção brasileira de boxe, em publicação nas redes sociais — Foto: Reprodução/Instagram

Cosme Nascimento, atleta da seleção brasileira de boxe, em publicação nas redes sociais — Foto: Reprodução/Instagram

O texto acima foi publicado por Cosme Nascimento, de 26 anos, atleta da seleção brasileira de boxe e que defendeu o país nos últimos Jogos Pan-Americanos, em Lima, no Peru, ano passado. Ele também busca a vaga olímpica para os Jogos de Tóquio, adiados para 2021. O protesto do boxeador que defende o Palmeiras há oito anos está nas ruas de Santana do Parnaíba, na Grande São Paulo, onde cresceu trabalhando na roça com o pai. E também nas redes sociais, em textos, fotos e vídeos.

– Fiz a foto em um mercado porque todos os dias que tenho saído de casa procuro levar uma mensagem para as ruas sobre este assunto ao invés de ficar só atrás do celular. Também fiz um texto bem crítico onde sou o repórter “racista” que nunca viu as problemáticas da população preta – explicou Cosme ao Globoesporte.com

– Eu vejo muita gente levantando uma bandeira mas não carregando esta bandeira. Muita gente fica atrás do telefone, dizem ser agregadores daquela causa, mas na verdade só estão se apropriando da causa, aproveitando que está em evidência para poder postar foto e ganhar curtida. Eu luto por esta causa há muito tempo, desde quando virei preto. Sim. Virei preto, porque você não nasce você vira depois de um tempo, quando você começa a entender e a se perguntar sobre as problemáticas da população preta na sociedade. Meu sonho era ver a minha causa ganhar força, ser pauta nas redes de telejornalismo etc. O racismo sempre aconteceu mas sempre foi encoberto por todos e agora estamos na cena – completou o boxeador que também postou um vídeo em forma de protesto.

Os pré-olímpicos de boxe foram cancelados por causa da pandemia de Covid-19 e os torneios classificatórios para as Olimpíadas de Tóquio ainda não têm data para acontecer. No Pan de Lima 2019, Cosme Nascimento, da categoria até 91kg, não conseguiu superar o cubano Dainier Christi nas quartas de final e ficou fora da luta por medalhas. O pugilista de Cuba foi campeão na capital peruana.

G1/GE

Comentários