Damares diz que não vazou informações sobre vítima de estupro

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos afirmou, nesta segunda-feira (17), que os técnicos da pasta não vazaram informações sobre a menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada pelo tio.

A menina interrompeu a gravidez no Recife após a equipe médica do Espírito Santo se negar a atuar mesmo depois de decisão judicial.

Em nota à imprensa, o ministério comandado por Damares Alves diz que não havia conhecimento sobre o nome da criança, nem o endereço da família, destaca o site Congresso em Foco.

A pasta disse ainda que “jamais tiveram contato com qualquer pessoa próxima à criança”.

Ontem, a ativista de direita Sara Winter revelou o endereço da unidade de saúde em que aconteceria o aborto legal da criança e publicou também o nome da menina.

Parlamentares evangélicos e um grupo de fundamentalistas religiosos tentaram impedir a realização do procedimento.

Comentários