Eduardo Bolsonaro apresenta defesa em ação movida por familiares de Lula

Eduardo Bolsonaro recorre a “emoji” para se livrar de ação movida por familiares de Lula

Alvo de uma ação movida por familiares de Lula, o deputado federal Eduardo Bolsonaro tentou justificar uma postagem que fez sobre o patrimônio de Dona Marisa Letícia, em abril. Herdeiros do ex-presidente pedem uma reparação de R$ 131,4 mil ao parlamentar por propagar de fake news.

O filho 03 de Jair Bolsonaro reproduziu no Twitter a notícia de que Marisa Letícia tinha um patrimônio de R$ 256 milhões investidos em CDB (Certificado de Depósito Bancário). Acontece que o valor correto dos bens – posteriormente, corrigido pelo juiz responsável pelo inventário da ex-primeira-dama – era de R$ 26 mil.

A defesa de Eduardo alega que o deputado “jamais afirmou que a Sra. Marisa Letícia Lula da Silva possuiu 256 milhões de reais”. Para justificar isso, cita um “emoji” com uma “carinha de dúvida” que acompanhou o post.

“Pedindo vênias nesta digressão sobre pictogramas, contudo, o objeto em discussão necessita ser esmiuçado. Ora, quando incluídos juntos na mesma frase, o conteúdo textual – Os R$ 256 MILHÕES de Dona Marisa – é colocado em dúvida pelo referido pictograma, de forma a afastar a contundência, a afirmação ou qualquer imputação, indicando apenas incerteza e interesse por tema de repercussão nacional, sem conferir qualquer ação imoral ou ilícita, e sequer elucubrando qualquer conjectura nesse sentido”, escreveu a advogada Karina Kufa, que defende Eduardo.

A defesa diz ainda que “o texto analisado em sua completude indica que o requerido (Eduardo) jamais afirmou que a Sra. Marisa Letícia Lula da Silva possuiu R$ 256 milhões, mas expressou tão e somente dúvida a respeito das referidas unidades de CDB, dúvida essa, inclusive, compartilhada pelo próprio juiz de direito que, por este mesmo motivo solicitou as informações a respeito”.

A família de Lula também move uma ação contra a atriz Regina Duarte, que publicou as mesmas afirmações sobre Marisa Letícia em redes sociais.

Por Bela Megale17/12/2020 • 10:08

O Globo

Comentários