Em Colinas, policial militar é preso suspeito de planejar sequestro de um gerente do Banco do Brasil

A Superintendência Estadual de Investigações Criminais – SEIC da Polícia Civil do Maranhão, por meio do Departamento de Combate ao Roubo a Instituições Financeiras (DCRIF), efetuou, nesta quarta-feira (14), a prisão de três suspeitos de integrar facção criminosa com atuação em todo o estado.

Dentre os envolvidos está um policial militar do Maranhão, suspeito de planejar o sequestro de um gerente do Banco do Brasil e sua família, na cidade de Colinas. O crime é conhecido como “sapatinho”.

Uma mulher, que teria a função de intermediar a troca de informações entre o soldado e membros da facção custodiados em Pedrinhas, também foi presa, além de um dos líderes da organização criminosa na região.

As prisões ocorreram na cidade de Colinas/MA e Marabá/PA, com apoio da Polícia Civil do Pará, por meio da Delegacia de Polícia de São Domingos do Araguaia.

Após o cumprimento dos mandados de prisão, expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca de São Luís, todos os suspeitos foram encaminhados às respectivas unidades prisionais, onde permanecerão à disposição da Justiça. 

O roubo na modalidade “sapatinho”

No assalto na modalidade “sapatinho”, funcionários do banco e seus familiares são sequestrados para facilitar a invasão de agências sem chamar atenção.

Geralmente uma parte da quadrilha faz a família refém, enquanto um dos bandidos segue com o funcionário à agência, com o objetivo de se apropriar de dinheiro.

Após o roubo, os reféns e o funcionários são libertados em algum lugar distante da cidade.

Outra prisão de assaltante de banco em Presidente Dutra na sexta-feira (9)

Na sexta-feira (9), a Polícia Civil do Maranhão prendeu um homem pelo crime de extorsão mediante sequestro, na modalidade conhecida como ‘sapatinho’. A prisão foi feita na cidade de Presidente Dutra.

O ‘sapatinho’ ocorre quando a vítima da ação criminosa é um funcionário de instituição financeira que, sob ameaça, é forçado a retirar valores da própria instituição e entregar ao sequestrador.

Segundo a Polícia Civil, o homem preso nesta sexta é suspeito da prática dessa modalidade criminosa contra funcionários do Banco Bradesco, na cidade de Paraibano, a 502 km de São Luís.

Ainda de acordo com a polícia, esse é o segundo integrante do grupo atuante no estado, que é identificado e preso pelo Departamento de Combate ao Crime Contra Instituições Financeiras (DCRIF), da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC).

As investigações continuam para identificar e prender outros possíveis integrantes da quadrilha.

Comentários