Erdogan segue condenando opositores à prisão perpétua na Turquia

O líder turco já expurgou mais de 140 mil servidores públicos e militares supostamente ligados ao golpe de 2016.

Um tribunal de Ancara, na Turquia, condenou, nesta sexta-feira (26), mais de 120 pessoas à prisão perpétua por suposta participação no fracassado golpe de Estado de 15 de julho de 2016. 

O golpe está sendo utilizado há anos pelo regime de Recep Tayyip Erdogan para promover um expurgo nas Forças Armadas, nos partidos de oposição e nos serviços públicos.

Desse total, 86 suspeitos foram sentenciados com pena “agravada”, que prevê regimes mais rígidos de detenção. 

Entre os que passarão a vida na prisão está o ex-coronel Erkan Oktem, que foi condenado a nove penas de prisão perpétua agravadas e por “homicídio premeditado”.

Erdogan acusa o clérigo exilado Fethullah Gulen, que vive nos Estados Unidos, de ter orquestrado o golpe. Gullen, por sua vez, acusa Erdogan de ter encenado o golpe para concentrar poder em suas mãos e perseguir adversários. 

Referências: [1]

Comentários