Funac, UFMA e MP firmam parceria para execução do Projeto Voz e Poesia

A educação também está onde está a arte. Com essa proposta foi firmada parceria entre a Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e Ministério Público (MP), por meio da 43º Promotoria da Infância e Juventude, para a execução do Projeto Voz e Poesia.

Serão realizadas oficinas de produção textual para despertar os talentos dos socioeducandos por meio das rimas e da música. O projeto terá apoio dos Departamentos de Biblioteconomia e Letras. Os materiais produzidos serão selecionados pela equipe organizadora e pela UFMA para posterior publicação.

Sobre o projeto, a presidente da Funac, Sorimar Sabóia, ressalta que é uma forma de despertar nos adolescentes o gosto pela leitura e estudos, além de contribuir para o fortalecimento do protagonismo juvenil, ao compartilhar vivências e fomentar saberes. “Nas oficinas de criação, a proposta é despertar nos adolescentes a vontade de escrever e se expressar. Para que coloquem no papel seus sonhos, anseios e através da poesia e música possam construir um novo projeto de vida”, pontuou a presidente da Funac.

De acordo com a diretora técnica da Funac, Lúcia Diniz, o projeto proporcionará um novo olhar para o sistema socioeducativo, ocasião em que a sociedade poderá conhecer os trabalhos desenvolvidos dentro dos Centros Socioeducativos da Fundação. “Os adolescentes têm sonhos, precisam de oportunidades para ter a reinserção social. E, é muito importante que a Universidade e a sociedade contribuam para o desenvolvimento desses adolescentes, que estão precisando crescer pessoal e socialmente. A gente quer sensibilizar a sociedade quanto a esse acolhimento, para que possamos ajudá-los a vencer na vida”, declarou Lúcia.

Para a reitora Nair Portela, é uma proposta que visa sistematizar, potencializar e ampliar as habilidades e capacidades dos meninos e meninas por meio da arte. “É um projeto muito interessante que vai envolver vários departamentos da Universidade. A gente parabeniza pela iniciativa e estamos com muita expectativa pelo próximo encontro para definição e acerto de todos os detalhes da execução do projeto”, comentou.

A promotora Fernanda Ferreira destacou a importância da qualificação para os adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. “É tudo o que eles querem. Infelizmente, alguns se perderam no caminho, mas muitos focam na necessidade de aprimoramento, de qualificação, e têm preocupação muito grande com a profissionalização, nos cursos que são oferecidos a eles, se preocupam sobre como vão fazer para trabalhar quando saírem do sistema. Desenvolvem atividades culturais muito bonitas como artesanato, poesias, cartas, pintam quadros, dentre outros trabalhos belíssimos”, afirmou.

Ana Margarida Barbosa, assistente social que trabalha na 43ª Promotoria Especializada, acrescentou que o projeto visa dar mais visibilidade a adolescentes do sistema de justiça juvenil por meio da leitura e da produção textual como ferramenta de libertação da expressão dos jovens. “Precisamos mostrar à sociedade que esses adolescentes são muito mais do que o ato infracionário que cometeram. Eles contam suas histórias, escrevem letras de hip hop, fazem muitas coisas, e devemos oportunizar que produzam mais e possam publicar esse material”, enfatizou.

Comentários