Guedes aponta o que pode tirá-lo do governo Bolsonaro

“Se o presidente desistir da agenda, ou se o Congresso interditar o debate, aí não tenho o que fazer”, diz  Guedes.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou, nesta quinta-feira (16), que só deixa o governo “abatido à bala” ou “removido à força”. 

“Tenho missão a cumprir”, acrescentou Guedes, ao ser questionado se ficaria no cargo até o fim da gestão do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Em uma live promovida por um grupo de investidores, Guedes ressaltou que tem uma agenda a ser cumprida, mas alertou:

“Se o presidente desistir da agenda, ou se o Congresso interditar o debate, aí não tenho o que fazer, tenho que ir embora para casa.”

Guedes ressaltou que a agenda de centro-direita é “liberal-democrata”, e “não quer aumentar impostos”, mas sim controlar gastos, destaca a rádio Jovem Pan.

Comentários