Homem é esfaqueado ao descobrir traição de companheira e volta para casa: ‘É uma boa mãe’

Um homem de 42 anos foi esfaqueado pela companheira depois de descobrir que estava sendo traído e quebrar o celular da mulher. O caso ocorreu no bairro Guilhermina, em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Segundo apurado pelo G1, logo após a tentativa de homicídio, ele retornou para a casa onde a mulher estava e eles continuam convivendo no mesmo imóvel.

A polícia tomou conhecimento do crime quando foi acionada no Hospital Irmã Dulce para atender ao caso de um homem que havia dado entrada no local, após ser esfaqueado. Na unidade de saúde, eles descobriram que a vítima foi golpeada pela companheira, em uma discussão.

A briga ocorreu por volta das 19h de quarta-feira (22), na residência do casal, na Rua Honduras. A vítima informou à Polícia Civil que estava na cozinha e a mulher no quarto, junto dos dois filhos. O celular dela, que estava carregando na cozinha, começou a tocar e o marido resolveu atender. Ao pegar o aparelho, ele viu que o número não tinha identificação, mas estava salvo na agenda.

Ele atendeu, perguntou quem estava falando e com quem gostaria de falar. O rapaz que estava do outro lado da linha informou seu nome e disse que era namorado da proprietária do celular. Revoltado, o marido disse que não podia ser, porque ele era o esposo e o xingou, desligando em seguida.

Depois disso, ele tentou bloquear e apagar o número do amante para que a mulher não recebesse mais chamadas, no entanto, ela apareceu na cozinha antes disso e tentou pegar o celular da mão do homem. Para tentar contê-la, ele acabou jogando o aparelho dentro da máquina de lavar.

Em depoimento, o homem contou que depois disso, a mulher ficou muito nervosa, voltou na cozinha, pegou uma faca e foi para cima dele, o acertando no abdômen. Como o celular estava quebrado e a vítima não tinha como chamar uma ambulância, ele foi para o Hospital Irmã Dulce caminhando sozinho. No local, ele recebeu atendimento médico e foi liberado, voltando para a residência.

Logo depois do crime, a mulher foi para casa de um parente, segundo a polícia, entretanto, ela nega que tenha saído da residência. O caso foi registrado na Delegacia Sede de Praia Grande como tentativa de homicídio e encaminhado para o 1º DP da cidade. A equipe do delegado Flávio Goda Magario e do chefe de investigação Gleydson Segundo passou a investigar o caso e conseguiu localizar a mulher e a vítima, que ainda estavam convivendo na mesma casa.

Em depoimento, o homem relatou o crime e disse que estava desconfiado há algum de que a mulher estava tendo um caso. Além disso, ele disse que não acredita que a companheira tenha tentado matá-lo, pois somente o deu uma facada. A vítima também declarou que a mulher é uma boa mãe para os seus filhos.

A versão dela

Em depoimento ao delegado, ela disse que mantém um relacionamento extraconjugal com outro homem há pouco menos de um ano, que o marido não sabia, no entanto, ela achava que ele já desconfiava.

Segundo a autora, ela ficou muito nervosa depois de ver o que ele havia feito com seu celular, pois não era o primeiro telefone que o homem quebrava. Ainda em sua declaração, a mulher relatou que ele implicava com tudo e que não a deixava ter amizade com ninguém. Era um bom pai, mas não um bom companheiro.

Ela também confessou que depois do crime, lavou a cozinha para não assustar os filhos com o sangue no chão. A faca utilizada na tentativa de homicídio foi entregue pela autora à polícia. Ela foi indiciada pelo crime, no entanto, não foi presa por não ter sido localizada em flagrante. O caso segue sob investigação da Polícia Civil.

Ocorrência segue sob investigação do 1º DP de Praia Grande — Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1

Ocorrência segue sob investigação do 1º DP de Praia Grande — Foto: Anna Gabriela Ribeiro/G1

Comentários