Manchester United atinge dívida de quase R$ 3 bilhões em meio à pandemia do coronavírus

O Manchester United anunciou nesta quinta-feira que a sua dívida líquida chegou a cerca de 430 milhões de libras (R$ 2,9 bilhões). As informações constam no balanço financeiro do terceiro trimestre da temporada (2019/2020). A dívida aumentou de 127,4 milhões de libras (R$ 881 mi) para 429,1 milhões de libras (R$ 2,9 bilhões) no trimestre em questão, período que corresponde à chegada do coronavírus na Europa.

Um dos clubes de maior faturamento no mundo, o Manchester United afirmou que tem reservas em dinheiro na casa dos 90 milhões de libras (R$ 622 milhões) para a próxima janela de transferências além de acesso a outros 150 milhões de libras (R$ 1 bilhão).

– Nosso foco continua na saúde e no bem-estar de nossos colegas, torcedores e parceiros em todo o mundo. Estamos extremamente orgulhosos de como as pessoas ligadas ao clube reagiram durante essa crise – declarou o vice-presidente do Manchester United, Ed Woodward.

As receitas de transmissão do clube inglês caíram 51,7% no terceiro trimestre da temporada 2019/2020, chegando a 27 milhões de libras. Houve um decréscimo de 15 milhões de libras pelo pagamento às emissoras de televisão, que tiveram de alterar sua programação por causa da pandemia. A ausência da Liga dos Campeões também é outro fator que explica a redução desse tipo específico de receita.

O time do Manchester United não entra em campo desde o dia 12 de março, quando enfrentou o LASK Linz, da Áustria, pelas oitavas de final da Liga Europa. Os clubes do Campeonato Inglês retomaram os treinos nesta semana, depois de 748 pessoas passarem por testes de coronavírus. Houve seis casos positivos.

O Manchester United está em quinto lugar na Premier League, com 45 pontos. A liga tem uma previsão otimista de recomeçar o Campeonato Inglês no dia 12 de junho. Faltam 92 jogos para a conclusão do torneio.

Comentários