Marco Aurélio critica novo decreto de Bolsonaro

“Mais um desgaste para o poder central frente aos cidadãos, gerando insegurança”, disse Marco Aurélio.

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou, nesta terça-feira (12), o decreto por meio do qual o presidente da República, Jair Bolsonaro, incluiu academias de ginástica, salões de beleza e barbearias entre as atividades essenciais.

As atividades essenciais podem funcionar durante a quarentena em meio à pandemia de coronavírus

Marco Aurélio disse que o decreto de Bolsonaro representa “mais um desgaste” e gera “insegurança”:

“Uma medida assim pressupõe entendimento. Pressupõe acertar com quem está na ponta, que são os governadores e prefeitos. A execução fica difícil.”

Em entrevista à Folha, o ministro completou:

“Mais um desgaste para o poder central frente aos cidadãos, gerando insegurança, o que é péssimo.”

Comentários