Mariana Ximenes e Victor Collor engatam namoro após flerte virtual na pandemia

Engrenou! Mariana Ximenes e Victor Collor estão namorando. A atriz e o fotógrafo, filho de Thereza Collor e Pedro Collor, viviam um romance virtual, como antecipado pelo EXTRA, no comecinho de julho. Um mês depois, eles faziam a primeira viagem juntos.

Os dois se refugiaram na casa do amigo em comum Bruno Couto, no distrito de São Francisco Xavier, a 54km de São José dos Campos. O sítio de Bruno voltou a ser pouso para Mariana e Victor durante o último feriado. Foi em meio a paisagens deslumbrantes e bucólicas, que Victor fez belas fotos da nova namorada e postou uma delas, sem marcá-la.

Mariana Ximenes pelas lentes de Victor Collor
Mariana Ximenes pelas lentes de Victor Collor

No jogo de luz e sombra, fica até difícil reconhecer a atual musa do fotógrafo, que tem tido o apoio da atriz em seus projetos, como o que ele encabeça com os quadros que fez para a série Primeiros Brasileiros, que tem venda revertida para os índios de etnia Kuikuro.

Mariana Ximenes pelas lentes de Victor Collor
Mariana Ximenes pelas lentes de Victor Collor

No último domingo, os dois almoçaram juntos no restaurante do qual Victor é sócio em São Paulo, que assim como o de Mariana serve comida orgânica. Ambos têm muita afinidade com as causas ambientais, sociais e artísticas, o que justamente os aproximou após se conhecerem num trabalho em Fernando de Noronha, no ano passado.

Victor Collor e Mariana Ximenes: fuga para o mato
Victor Collor e Mariana Ximenes: fuga para o mato

A atriz, de 39 anos, e Victor, de 33, já trabalharam juntos. Ele a fotografou na ilha em novembro para o “Vic&Cop Post”, jornal trimestral que publica e gira em torno de lifestyle, arte, gastronomia e o que há de mais descolado pelo mundo. Apesar de ter a política no DNA (o tio Fernando Collor foi presidente da república), Victor nunca quis perpetuar a trajetória da família. Aos 25 anos, ele chegou a ser DJ e namorou algumas beldades conhecidas como Julia Petit e a apresentadora Maria Eugênia.

Comentários