Millene pede ajuda para deixar epicentro do coronavírus: “Tem mais de uma semana que a gente não sai (do apartamento)”

Millene, ex-jogadora do Corinthians, vive uma situação de dificuldade na China. Há 11 dias dentro de um apartamento em Wuhan, epicentro do Coronavírus, ela tenta se proteger da epidemia enquanto busca uma solução para retornar ao Brasil. Os aeroportos estão fechados, as ruas da cidade vazias. A atleta comenta que também não recebeu uma posição do governo brasileiro sobre algum tipo de ajuda para deixar o país. Ela viajou ao local para acertar com seu novo time.

– A situação está bem complicada. Eu cheguei no dia 16 aqui e desde o dia que eu cheguei aparentemente estava tudo bem. Estávamos com o clube resolvendo as questões burocráticas do contrato, exames. Quando a gente foi pega de surpresa com esse vírus. A partir do momento que foi falado o quão perigoso está sendo me tranquei dentro do apartamento e não saí mais pra nada. Já tem mais de uma semana que a gente não sai. Já tem 11 dias que a gente tá nessa peleja – afirmou Millene ao podcast Dona do Campinho.

A jogadora contou que o que está ajudando ela durante a estada sem sair do apartamento é a comida que ela levou do Brasil: arroz, feijão, farofa. A atleta comenta que nas ruas não há ninguém e que parece uma cidade fantasma. Sobre ajuda do governo brasileiro, diz que conversa bastante com a embaixada do Brasil para ter uma posição, mas o retorno é que ela precisa esperar e não há um posicionamento certo. O blog entrou em contato com o governo federal, mas a resposta é que não há decisão tomada sobre o tema ainda e nem prazo para que alguma atitude seja tomada.

Comentários