Moraes é alvo de ataques em bar em São Paulo e caso vai parar na polícia

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) prestou queixa na polícia após saber que foi ofendido e recebeu ameaças de frequentadores de um bar no Clube Pinheiros, na capital paulista. De acordo com o boletim de ocorrência, na madrugada de quinta para sexta-feira, 3, seguranças particulares teriam avisado membros da escolta pessoal de Moraes que pessoas embriagadas estariam “proferindo ameaças e injúrias” contra o ministro. O segurança teria ouvido, da calçada do clube, “4 pessoas em uma mesa bebendo e falando alto”. Um funcionário do Pinheiros teria pedido que os envolvidos parassem com a “importunação do sossego alheio”.  Ainda segundo o boletim de ocorrência, um dos responsáveis pela confusão era o publicitário Alexandre Forjas, que mesmo após deixar o clube, seguiu proferindo insultos. Ele seguiu até a frente do prédio onde mora Alexandre de Moraes aos gritos, xingou o magistrado e pediu o fechamento do STF. O próprio ministro e a vizinhança teriam ouvido os xingamentos. Forjaz disse à polícia que estava assistindo a um jogo de futebol e que havia várias mesas insultando o ministro, mas que ele não conhecia as pessoas e negou as ofensas contra Moraes. O ministro Alexandre de Moraes é sócio do Pinheiros e mora na região do clube. Por isso, a escolta pessoal dele sempre fica no entorno do local.

*Com informações da repórter Camila Yunes

Jovem Pan

Comentários