Neymar é o assunto da vez em Barcelona e domina as manchetes da semana nos jornais da cidade

Bastou sair a público que Neymar é negociável e o presidente do PSG subir o tom nas cobranças que pronto: a imprensa catalã se esbaldou com um possível retorno do craque ao futebol espanhol. Em um período sem jogos, cujo noticiário é basicamente de mercado, o “Sport” exibiu o brasileira em sua manchete de segunda a sábado. O “Mundo Deportivo”, também da Catalunha, seguiu na mesma linha e o destacou quatro vezes ao longo da semana. Veja abaixo como a notícia foi assunto, inclusive em Madri e Paris.

Tudo começou na França…

O “L’Equipe” publicou ainda no domingo que o clube francês aceitaria negociar o brasileiro nesta janela de transferências – em caso de uma boa oferta na mesa. A notícia foi manchete no dia seguinte, e o assunto começou a pegar fogo.

Capa do L'Equipe na segunda-feira — Foto: Reprodução/L'Equipe

Capa do L’Equipe na segunda-feira — Foto: Reprodução/L’Equipe

O PSG subiu o tom

Na mesma semana, o PSG deu seu recado, através do presidente Nasser Al Khelaifi. A entrevista que estampou a manchete desta edição da revista “France Football” chamou a atenção pelo tom mais duro com o brasileiro.

– Quero jogadores dispostos a dar tudo para defender a honra da camisa e participar do projeto do clube. Aqueles que não querem, ou não entendem, nós vemos e conversamos uns com os outros. É claro que há contratos a serem respeitados, mas a prioridade agora é a total adesão ao nosso projeto – disse o presidente.

“Ninguém obrigou Neymar a assinar conosco. Ninguém o forçou. Ele veio conscientemente para participar de um projeto” .

Presidente do PSG dispara: “Ninguém obrigou Neymar a assinar conosco”

– Os jogadores têm de assumir responsabilidade ainda maior que antes. Deve ser completamente diferente. Eles terão que fazer mais, trabalhar mais. Não estão lá para agradar a si mesmos. E, se não concordarem, as portas estão abertas. Tchau! Eu não quero mais ter nenhum comportamento de celebridade (no time) – disse, em outro momento da entrevista, sem citar nomes dos jogadores.

“Não quero mais nenhum comportamento de celebridade”, diz presidente do PSG

A capa da France Football  — Foto: Reprodução

A capa da France Football — Foto: Reprodução

SemaNeymar no Sport

Fernando Alonso, participação da Espanha na Copa Feminina, pedido de demissão de Luis Enrique da seleção, aposentadoria de Fernando Torres… Nada disso foi tão importante quanto a novela Neymar para o “Sport”, que desde que o assunto esquentou monopolizou a manchete do jornal catalão.

  • Segunda, 17: PSG abre as portas para negociá-lo.
  • Terça, 18: Neymar negocia sua saída e quer voltar ao Barça.
  • Quarta, 19: jogadores do Barcelona apoiam retorno de Neymar.
  • Quinta, 20: Neymar não quer voltar a Paris e pede para ser vendido.
  • Sexta, 21: PSG pede € 300 milhões, e Barça oferece € 100 milhões, além de Coutinho.
  • Sábado, 22: Barça tenta viabilizar Neymar e Griezmann e impõe condições ao brasileiro.
Semana Neymar no jornal "Sport" — Foto: Reprodução / Sport

Semana Neymar no jornal “Sport” — Foto: Reprodução / Sport

Mundo Deportivo mais moderado

O outro grande jornal de Barcelona destacou o brasileiro “apenas” em quatro dos seis dias da semana. Foram duas exceções: na primeira delas, na segunda-feira, destacou o piloto Fernando Alonso; na segunda, na última sexta, o assunto foi uma possível ida de Coutinho para o PSG. De resto, só Neymar.

Mundo Deportivo também destaca Neymar — Foto: Reprodução / Neymar

Mundo Deportivo também destaca Neymar — Foto: Reprodução / Neymar

Já em Madri…

O brasileiro não foi o destaque principal nenhuma vez no “Marca”. Até apareceu na capa nas edições de terça, quarta e quinte, quando o assunto esteve mais quente, mas foi preterido por Alonso, Rodrygo, Mendy (ambos se apresentaram ao Real nesta semana), Marcos Llorente, João Felix (esses fecharam com o Atlético de Madrid) e até pela vitória do Real Madrid sobre o Barcelona no basquete espanhol.

Já o jornal Marca "ignora" o brasileiro — Foto: Reprodução / Marca

Já o jornal Marca “ignora” o brasileiro — Foto: Reprodução / Marca

Comentários