Parlamento da Hungria veta adoção por casais homossexuais

A legislação restringe os conceitos de casamento e família à definição tradicional cristã.

O parlamento da Hungria aprovou, na última terça-feira (15), uma lei que proíbe efetivamente a adoção por casais homossexuais.  

Agora, apenas pessoas casadas e solteiros com uma permissão especial do governo podem adotar crianças.  

A medida afeta diretamente os casais de pessoas do mesmo sexo porque, embora as uniões civis sejam permitidas, o matrimônio entre gays é ilegal no país do Leste Europeu.  

A nova lei também impede que um dos parceiros se registre como solteiro para iniciar o processo de adoção.  

A ministra da Justiça, Judit Varga, redatora da emenda, explicou que a mudança afirma que “a mãe é uma mulher, o pai é um homem”. 

No último mês de maio, a Hungria proibiu o reconhecimento legal de gênero. Ou seja, pessoas trans e intersexuais não podem mudar seus pronomes designados no nascimento.

Comentários