Polícia investiga morte de jovem executado por engano no Maranhão

A população da cidade de Central do Maranhão, a 163 km de São Luís, reclama da falta de segurança na cidade. Nesta semana, um jovem identificado como Thalys Domingos Pavão Costa, de 21 anos de idade, foi assassinado a tiros e o crime foi por engano, de acordo com os moradores do município.

Segundo os moradores de Central, o jovem foi assassinado por engano e teria sido confundido com outro rapaz. Nas redes sociais várias mensagens foram compartilhadas pedindo justiça e mais segurança na cidade.

Nas mensagens compartilhadas, os moradores de Central do Maranhão, que tem menos de 10 mil habitantes e que fica há 173 km da capital, relatam também que há cerca de um mês o município não tem rondas da Polícia Militar, o que tem refletido no aumento da criminalidade.

Mensagens compartilhadas nas redes sociais pelos moradores afirmam que há cerca de um mês o município não tem rondas da Polícia Militar — Foto: Reprodução/TV Mirante

Mensagens compartilhadas nas redes sociais pelos moradores afirmam que há cerca de um mês o município não tem rondas da Polícia Militar — Foto: Reprodução/TV Mirante

A morte de Thalys Domingos está sendo investigada pela delegacia de Mirinzal, a 196 km da capital. O delegado Eder Jacoboski Viegas, que está investigando o caso, já descartou o envolvimento de Thalys com organizações criminosas e disse também que já identificou os suspeitos do assassinato.

“A vítima ela foi confundida com uma outra pessoa e foi alvejada com 13 disparos de arma de fogo em que perfuraram a região abdominal, o tórax, a lombar, dentre outros tiros também atingidos na costa da vítima. A Polícia Civil já identificou os autores dos disparos e estamos finalizando as investigações para efetuar a prisão dos envolvidos. O inquérito policial tramita em sigilo para que possamos obter êxito e dar a resposta que a sociedade almeja, no caso que é a prisão desses envolvidos”, revelou o delegado Eder Jacoboski Viegas.

A Secretaria Estadual de Segurança do Maranhão (SSP-MA) foi procurada, mas até agora não se pronunciou sobre essa falta de segurança em Central do Maranhão.

G1MA

Comentários