Relatório aponta tortura e internação em massa de uigures na China

As autoridades chinesas criaram um cenário infernal distópico em Xinjiang.

Um relatório foi divulgado, na última quinta-feira (10), pela Anistia Internacional com denúncias de “crimes contra a humanidade” cometidos por autoridades da China contra os uigures e outras minorias étnicas na província de Xinjiang.

A informação foi divulgada, nesta sexta-feira (11), no jornal Gazeta do Povo. Saiba mais detalhes.

  • O relatório de 160 páginas traz depoimentos de cinquenta ex-detidos em Xinjiang
  • O documento detalha como centenas de milhares de pessoas de minorias étnicas foram detidas arbitrariamente, algumas enviadas para prisões e outras para campos de reeducação.
  • Espancamentos, privação de sono e superlotação também são comuns. Os detidos relataram ter sido encapuzados e algemados durante interrogatórios e transferência.
  • De acordo com o texto, sob o pretexto de combater o terrorismo, o Partido Comunista Chinês (PCCh) está “tradições religiosas, práticas culturais e línguas locais dos grupos étnicos muçulmanos da região”.
  • As autoridades chinesas criaram um cenário infernal distópico em uma escala impressionante na região autônoma uigur de Xinjiang”, disse Agnès Callamard, secretária-geral da Anistia Internacional.

Comentários