Rússia diz que fará de tudo para evitar uma intervenção militar dos Estados Unidos na Venezuela

A Rússia declarou neste domingo (3) que fará todo o possível para evitar uma intervenção militar dos Estados Unidos na Venezuela e disse estar pronta para realizar negociações bilaterais com Washington sobre a questão.

Neste domingo, a presidente da Câmara Alta do Parlamento russo, Valentina Matviyenko, se reuniu com a vice-presidente venezuelana, Delcy Rodríguez, para tratar da crise na Venezuela e reafirmou apoio a ditadura de Nicolás Maduro.

“Nos preocupa muito que os EUA possam realizar provocações para que seja derramado sangue (na Venezuela), encontrando assim uma desculpa para intervir”, afirmou Valentina.

Em conversa telefônica no sábado (2), o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, havia dito ao colega americano, Mike Pompeo, que a Rússia está disposta a negociar com os Estados Unidos sobre a crise na Venezuela. 

“Em conexão com a proposta de Washington de realizar consultas bilaterais sobre o assunto, ficou posto que a Rússia está pronta para participar disso. É vital (esta discussão) ser estritamente guiada pelos princípios da Carta das Nações Unidas, uma vez que apenas o povo venezuelano tem o direito de determinar seu futuro”, disse o comunicado da chancelaria russa após a ligação – iniciada pelo governo americano.

Porém, o assessor de Segurança da Casa Branca, John Bolton, voltou a criticar a ditadura de Nicolás Maduro e disse que os EUA tentam formar uma “ampla coalizão” internacional para tirá-lo do poder e trazer a democracia de volta ao país.

As informações são do Estadão.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *