Tarcísio dá mais detalhes sobre selo “Infra + Integridade”

Governo ressalta a importância da “conscientização do importante papel das empresas no enfrentamento de práticas ilícitas e antiéticas”.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, anunciou na semana passada o lançamento do selo “Infra + Integridade”, que vai reconhecer as boas práticas em empresas de infraestrutura de transportes, incluindo iniciativas de conformidade, responsabilidade social, sustentabilidade e prevenção à fraude e à corrupção.

O selo reconhece e atesta o trabalho pautado na ética e nos valores públicos, visando reduzir a ocorrência do risco de fraudes e atos de corrupção na relação com o setor público.

De acordo com a pasta, o objetivo é reconhecer as empresas que trabalham com boas práticas de governança e integridade institucional.

O selo “Infra + Integridade” premia as empresas do setor que desenvolvam e incentivem condutas como ética e transparência, responsabilidade social e prevenção à fraude e à corrupção.

Um dos principais objetivos do projeto, segundo o material divulgado pelo ministro Tarcísio, é a “conscientização do importante papel das empresas no enfrentamento de práticas ilícitas e antiéticas”.

Governo ressalta a importância da “conscientização do importante papel das empresas no enfrentamento de práticas ilícitas e antiéticas”. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, anunciou na semana passada o lançamento do selo “Infra + Integridade”, que vai reconhecer as boas práticas em empresas de infraestrutura de transportes, incluindo iniciativas de conformidade, responsabilidade social, sustentabilidade e prevenção à fraude e à corrupção. O selo reconhece e atesta o trabalho pautado na ética e nos valores públicos, visando reduzir a ocorrência do risco de fraudes e atos de corrupção na relação com o setor público. De acordo com a pasta, o objetivo é reconhecer as empresas que trabalham com boas práticas de governança e integridade institucional. O selo “Infra + Integridade” premia as empresas do setor que desenvolvam e incentivem condutas como ética e transparência, responsabilidade social e prevenção à fraude e à corrupção. Um dos principais objetivos do projeto, segundo o material divulgado pelo ministro Tarcísio, é a “conscientização do importante papel das empresas no enfrentamento de práticas ilícitas e antiéticas”.

Comentários