Terra do açaí, município de Açailândia (MA) avança às semifinais do vôlei feminino juvenil

A Unidade de Ensino Vale do Aço, de Açailândia (MA), está na semifinal do torneio de vôlei feminino, categoria 15 a 17 anos. Neste domingo, 22, a equipe derrotou a Unidade Escola Dom Severino, de Teresina (PI), por 2 sets a 0, parciais de 25/12 e 25/9, e garantiu a primeira colocação do grupo B na etapa Regional Azul dos Jogos Escolares da Juventude, que acontecem em Natal (RN). 

A equipe maranhense terá pela frente o IE Colégio e Curso, de João Pessoa (PB), às 10h15 desta segunda-feira, enquanto o Complexo Educacional Henrique Castriciano (RN) enfrenta o Colégio Militar de Salvador (BA), a partir das 9h. Os dois jogos serão realizados no ginásio do Colégio Contemporâneo Potilândia, na capita potiguar, e têm entrada franca. Os vencedores das partidas, além de disputarem a final, garantem vaga na etapa nacional dos Jogos Escolares, em Blumenau (SC).

A vitória sobre as piauienses aconteceu sem sustos. No entanto, o jogo contra as paraibanas será de vida ou morte para a equipe maranhense. “Será um jogo muito difícil. Vamos precisar entrar em quadra mais concentradas e não podemos nos subestimar porque perdemos para elas no ano passado. Dessa vez queremos a vaga”, disse a capitã e levantadora da equipe maranhense, Emilly Waleska, de 16 anos.

Emilly já garantiu participação em Blumenau 2019 no vôlei de praia. Ela faz dupla com Hillary Araújo, única atleta do grupo com 17 anos. O time é formado basicamente por meninas de 15 anos, como a central Tainara Aguiar e a oposta Ana Clara Souza Cunha, filha de Solenyta, a tia Sol, que acompanha o grupo em todos os lugares.

Açailândia surgiu em 1958 e pertencia ao município de Imperatriz até 1981, quando se emancipou. Hoje é o oitavo município mais populoso do estado, com pouco mais de 110 mil habitantes. O nome do município vem do açaizeiro, abundante no local no século passado.

“Engraçado é que a cidade é maranhense e o açaí na verdade é mais tradicional no Pará”, afirmou o professor Márcio Coelho, 37 anos, que comanda a equipe em Natal (RN). “Hoje em dia o açaí tá caro. Paga-se R$ 20 por dois litros”, contou.

As meninas garantiram que o açaí consumido na cidade que recebe o nome da fruta rica em proteínas, fibras e lipídios, possui uma boa quantidade de fósforo, ferro e cálcio, além de vitaminas: C, B1 e B2. “A gente toma açaí fresco, não é como no Pará que se come açaí com peixe, ou açaí com cuscuz”, disse Emilly,

A Unidade de Ensino Vale do Aço tem apenas quatro anos e fica dentro de uma faculdade. O esporte é usado como função social e as melhores atletas da cidade recebem bolsas integrais. As três mais velhas da equipe, Emilly, Hillary e Paula, disputaram os Jogos Escolares de 2018, mas por outra instituição. Agora, com bolsas de estudo, cursam nova instituição.

“A gente só compra os livros”, disse Tainara Aguiar, a mais alta da equipe. “Em 2017, estudava na Escola Municipal Kiola Sarney, depois passei a estudar na Adonai, quando comecei a jogar vôlei com o professor Márcio. Nesse ano, entrei na Vale do Aço, que considero uma escola muito melhor, com professores excelentes e que apoiam o esporte”, explica Tainara.

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), com patrocínio da Coca-Cola, parceria da Ajinomoto e do Grupo Globo, e apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Norte.

Comentários